As saudades que eu tinha…

Atualizado: Mar 7

Que Saudades que eu tinha… nessa altura tudo era cor-de-rosa, tudo brilhava, tudo era mágico…tudo era possível!

Nessa altura os bonecos ganhavam vida e as brincadeiras tornavam-se reais. Lembro-me de brincar às casinhas, aos cabeleireiros, às cozinhas… fazer de mãe, amiga, irmã e até de professora.

Na infância, não existem limites para a imaginação!

Recordar traz saudade e faz-me reviver o que sentia naquela altura. É saudável? Acredito que sim, se as memórias são positivas e alavancam coisas boas para o presente e futuro.

É no processo de brincar que nos tornamos quem somos. É pelo brincar que aprendemos a ser e a relacionarmos-nos com os outros.

Tendo consciência da importância do brincar e indo ao encontro das brincadeiras próprias de uma menina de 4 anos…. realizei um sonho – construí uma casinha para a minha filha. Não, não é de chocolate! É uma casinha mágica, que reúne um conjunto de espaços e objetos que lhe permitem imitar a vida real, desempenhar vários papéis, representando episódios que vive em casa, na escola, com os pais, avós, amigos, enfim… assim terá maior possibilidade para desenvolver competências pessoais, cognitivas, físicas, afetivas e sociais e emocionais.

“As crianças não brincam de brincar. Brincam de verdade.”

(Mário Quintana)

Conceição Caleira
Amor d`3ducação

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo