Crianças resilientes – um desafio atual!


Todos nós em algum momento da vida, reagimos de determinada maneira a determinado acontecimento…. este mecanismo designa-se por Resiliência – capacidade de resistência a condições adversas. Tal processo requer atitudes positivas e mecanismos de  recuperação para resistir e ultrapassar uma situação traumática prolongada.

Crianças Resilientes são aquelas que, apesar de terem vivênciado situações traumáticas, apresentam comportamentos aceitáveis, tendo desenvolvido “ferramentas” para resistir e sobreviver à tensão causada por determinada situação. Nos dias de hoje, fala-se bastante em resiliência e, quanto a mim mais do que falar é necessário agir… torna-se urgente a prevenção, pela capacitação das nossas crianças para as mudanças/desafios que a vida de hoje lhes pode apresentar.

Dá que pensar… Então deve-se proteger a criança para não estar exposta aos factores de risco, isolando-a da realidade?

Claro que não. A criança tem que viver uma vida normal, no entanto tem que saber que existem factores de risco e estar preparada para enfrentá-los através de mecanismos pré-adquiridos e que carecem de preparação e treino. Num estudo realizado, Elder (1974) constatou que muitas das crianças que cresceram no período da grande depressão, em condições de privação económica e social, apresentavam um funcionamento adaptativo. Num outro estudo, realizado em Kauai (Werner & Smith, 1977, 1982, 1992), foi possível constatar que muitas das crianças expostas a graves factores de risco, apresentavam resultados favoráveis nos estudos, bem como a ausência de patologia. Através da análise dos factores que protegeram estas crianças e que as tornaram mais resistentes aos factores de risco, verificou-se que entre esses factores, se encontravam a existência de um sentido crescente de autonomia associada à capacidade de pedir ajuda e também a existência de, pelo menos, uma relação afectiva significativa. Vários autores defendem que relações muito precoces, garantem parte da capacidade de resistência da criança.

Tendo em conta a minha experiência profissional e o que vários autores afirmam sobre o tema, é possível afirmar que a Resiliência é desenvolvida na criança através de relações seguras, do contacto com uma realidade que a faça pensar, questionar, fazer escolhas e potenciada com reforços positivos, que aumentam a sua auto-estima. Estes ingredientes são indispensáveis para termos crianças resilientes e preparadas para a vida!

“Florescer exige passar por todas as estações.”  (Ita Portugal )

Conceição Pereira Amor d`3ducação
0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 

Formulário de Inscrição

©2020 por Amor d‘3ducação. Orgulhosamente criado com Wix.com